terça-feira, 22 de maio de 2012

Toco na poesia crônica contidiana fantásmica de Tavinho Paes

Cousas do dia a dia atrapalham 
um pouco ou muito o pulso
do que tento ou preciso fazer,
recorro ao jogo do contente
e assumo o ser de Pollyanna:
há cinco dias sem o sinal da internet,
isolado do mundo?

Rádio Am transmitindo o futebol 

do dia de hoje,
o futebol do mundo, o futebol do Brasil
( toco na poesia crônica cotidiana 

fantásmica de Tavinho Paes)
toco no que não devo tocar,
segurando nas mãos de Betina Kopp, 

Glad Azevedo,
Pedro Poeta, Tico Santa Cruz, 

Igor Cotrim, Marcelo Mello...)

O Voluntários da Pátria correndo 

pelos aeroportos,
pelo planeta Brasil 

visceralmente unidos
na mesma lâmpada professora-criança

É muito bom saber 

que nesse momento a música-poesia que faço,
recito e canto, 

está sendo ouvida e lida no Japão,
no Zimbabo, em Portugal, em Mônaco, 

na Colômbia, em La Corunha, na Galícia, 
em Nápoles, em Las Vegas

E eu volto para a terra, 

para o plano gema carioca,
Curica Jacarepaguá 

Recreio dos Bandeirantes 
Barra da Tijuca Cascadura 
Madureira Praça Seca 
Santa Cruz Campo Grande

Eu dentro do mundo, o mundo dentro de mim,
os muitos mundos espalhados 

pelos ladrilhos da casa

Lembranças estreladas de Curitiba,
de Santa Cruz do Sul, 

Ribeirão Bonito, Ribeirão Preto, 
Sorocaba, Cachoeira do Sul, 
Cruzeiro, Cachoeira Paulista, 
São Paulo, Itatiba, Campinas, 
Brasília, Goiânia, Porto Alegre, 
Jataí, Caxias do Sul,
Florianópolis, Tubarão, 

Criciúma, Nova Veneza,
Joinville, Salvador, 

Brasília, Maceió,
João Pessoa, Niterói, 

São Gonçalo, Nova Iguaçu,
Vassouras, Nova Friburgo, 
Saquarema, Macaé, Maricá...

Corujão da Poesia, fogueira sagrada profana,
ponto motriz da vida nova,
dos que se olham nos olhos
dos olhos

"a nova vida vem do novo mar",
do mirante do Leblon,
dos poemas de carvão e areia,
de homens e sereias

   ( edu planchêz)

Nenhum comentário:

Postar um comentário